Conferência sobre o Futuro da Europa deve resultar num compromisso dos europeus com os princípios fundadores da União

A deputada do Partido Socialista à Assembleia da República, Isabel Almeida Rodrigues, esteve hoje presente no evento de lançamento nacional da Conferência sobre o Futuro da Europa, que se realizou em Lisboa, com a presença do Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros e da Secretária de Estado dos Assuntos Europeus.

Em declarações à margem do evento, a deputada socialista sublinhou a importância da realização da Conferência e o papel do Governo português no desbloqueamento do processo durante a respetiva presidência. Para Isabel Almeida Rodrigues “num tempo em que Europa vê crescer os populismos e os nacionalismos e em que se verificam, em alguns países, atropelos graves aos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos e ao Estado de direito, é muito importante que a Conferência sobre o Futuro da Europa resulte num compromisso inequívoco e firme dos europeus com os princípios fundadores da União”.

A deputada considerou, ainda, que a elevada participação dos cidadãos é essencial para garantir o sucesso desta iniciativa e espera que da mesma surja “uma Europa mais ambiciosa no combate à pobreza, na promoção da igualdade de oportunidades, do emprego e do rendimento digno, capaz de adaptar as suas políticas à realidade e necessidades concretas de cada território, como é o caso das regiões ultraperiféricas”.

Para a parlamentar, “sem prejuízo das políticas sectoriais, a dimensão social tem um grande impacto na perceção dos cidadãos sobre a capacidade da Europa para responder aos seus problemas e esta questão ficou muito clara durante a crise pandémica, à qual, importa reconhecer, a Europa reagiu de forma inovadora e vigorosa, ao disponibilizar aos Estado membros mecanismos imprescindíveis à proteção das pessoas e das empresas e ao assegurar recursos financeiros para a recuperação e reforço da resiliência”.

A iniciativa visou a divulgação e o debate da Conferência sobre o Futuro da Europa a nível nacional e apelar à organização de eventos pela sociedade civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *